gtag("config", "AW-798329363");
Alameda dos Maracatins, 426 cj 804 - Moema - São Paulo - SP -
Agende sua consulta - 11945990836

11 3582-8948

11945990836

Alameda dos Maracatins, 426 cj 804 - Moema - São Paulo - SP -

Dieta e endometriose

Olá meninas! Tudo bem? Eu já comentei aqui como os hábitos alimentares podem aliviar os sintomas da endometriose, e neste post, eu quero aprofundar mais esse tema e destacar o papel da nutrição para amenizar a gravidade da doença. 

A atuação do profissional nutricionista em conjunto com a equipe multidisciplinar é importante para o atendimento especializado no tratamento da endometriose. Com o auxílio desse especialista, é possível avaliar o estado nutricional, identificando as deficiências e/ou necessidades nutricionais específicas para buscar a adequação da dieta, e dessa forma, fortalecer o sistema imunológico e os sintomas associados à endometriose, principalmente as alterações do trato gastrointestinal como a constipação crônica e/ou diarreias cíclicas, além dos quadros de dor pélvica (cólicas).

A presença de focos de endometriose aumenta a produção de citocinas (substâncias inflamatórias) e as células gordurosas são grandes produtoras de citocinas. Nesse sentido, é significativo o ajuste do peso corporal.

O recomendado é adequar o consumo de gorduras da dieta. Se você foi diagnosticada com endometriose, você deve reduzir o consumo de gorduras saturadas presentes em alimentos de origem animal, principalmente carnes gordurosas de gado, pele de frango, laticínios, embutidos, congelados, entre outros, e cortar totalmente as frituras e as gorduras transaturadas como pães, sorvetes, biscoitos e doces.

Diversos estudos já comprovaram a eficiência da modulação dos ácidos graxos na dor pélvica. Por exemplo: os ácidos graxos ômega 6 (encontrados principalmente em óleos vegetais, como milho, soja e colza) pioram os quadros dessa dor, já que estimulam a contração uterina e a vasoconstrição. Já os ácidos graxos poliinsaturados ômega 3 melhoram a resposta imunológica do organismo ? presentes em grandes quantidades nos óleos de peixes marinhos, como sardinha, atum, arenque, anchova e sementes de alguns vegetais, como a linhaça.

Quer saber mais? Acesse também o meu blog(doutoragraciela.com.br

#gracielamorgado #saúdedamulher #endometriose #dietasaudável
« Voltar
A endometriose existe e deve ser tratada com cuidado e respeito Valorize a sua dor, isso não é psicológico!